Biografia

António Martins da Silva Dias, que usou como nome artístico RESENDE DIAS, nasceu na cidade do Porto no dia 25 de Abril de 1916, foi logo baptizado no dia 28 de Maio…, tendo falecido a 28 de Janeiro de 1992.

Recebeu de sua Mãe – Professora Emília Resende – as primeiras lições de Música, tendo em seguida frequentado as Classes de Violino, Piano e Composição no Conservatório de Música do Porto, onde concluiu o Curso Superior de Violino com a classificação de 19 valores.

Desde muito novo compôs grande variedade de músicas, tendo-se inscrito na Sociedade Portuguesa de Autores em 1935.

Ainda adolescente, começou a colaborar nas páginas infantis do “Jornal de Notícias” e de “O Primeiro de Janeiro”, com ilustrações já notáveis de seu irmão, Júlio Resende. Poucos anos volvidos, foram ambos convidados a participar na revista infantil “O Papagaio”, passando a dirigir no Porto os respectivos espectáculos infantis e programas radiofónicos.

Juntamente com sua Mãe e Irmãos, fundou o “Rádio Clube Infantil”, onde ampliou a actividade. Apoiou também os Cursos de Música que entretanto se iniciaram, apresentando actuações no Cinema Olímpia, Teatro Carlos Alberto, Cinema Rivoli e Coliseu do Porto.

Aos dezasseis anos organizou a sua primeira Orquestra Ligeira, actuando regularmente em recintos seleccionados.

Por concurso do Emissor Regional do Norte da Emissora Nacional, dirigiu programas de variedades radiofónicos. Apresentou apenas trechos de autores portugueses, durante mais de trinta anos. Foi uma oportunidade de lançamento para muitos jovens artistas, nomeadamente cançonetistas do Norte.

Também a Delegação do Porto da FNAT lhe confiou a Direcção de todos os Serões para Trabalhadores durante longos anos; teve assim ocasião para percorrer o país, com particular incidência na zona nortenha.

Desde a sua fundação e até 1983, integrou a Orquestra Sinfónica do Porto, como violetista. Nessa altura pede a Aposentação para dar melhor assistência ao Centro de Arte e Cultura Popular de Bairro (Vila Nova de Famalicão), onde constituiu uma Orquestra Juvenil de sessenta elementos; especialmente com repertório clássico, deu variados Concertos, salientando-se os últimos, no Casino Estoril, em Dezembro de 1989, por solicitação e com a presença do então Ministro da Juventude.

Como compositor, é de realçar a sua participação em Festivais Nacionais e Internacionais; nos dois primeiros Festivais da Canção Portuguesa, em que participou por convite, recebeu uma Medalha da Emissora Nacional pela canção “Maria do Céu” e uma Filigrana pela canção “Regresso”, canção que então lançou António Calvário e que foi gravada em muitos países. No Segundo Grande Prémio RTP da Canção Portuguesa, já disputado, ganhou o segundo lugar com a canção “Amor”, cantada por Artur Garcia. A Junta de Turismo da Figueira da Foz atribuiu o 1º Prémio à sua canção “Figueira”, que foi apresentada por Simone de Oliveira.

De salientar também a participação nos Concursos das “Grandes Marchas Populares” onde, entre muitos outros concorrentes, chegou a acumular quatro grandes prémios no mesmo ano (1971): 1º e 2º em Lisboa e 1º e 3º no Porto.

A sua dedicação ao sector infantil destaca-se, particularmente, nos Concursos “Gala dos Pequenos Cantores”, na Figueira da Foz, e “Festival Rabelo Douro”, no Porto, com vários primeiros prémios, entre os quais  “Beijinhos”, com letra e música de sua autoria.

Do vasto número das suas Canções – mais de setecentas estão inscritas na Sociedade Portuguesa de Autores – muitas tornaram-se verdadeiros êxitos populares: “Doce da Teixeira”, “A Moda da Amora Negra”, “O Porto Canta”, “Piquenique no Monte”, “Tarde Triste no Campo Pequeno”, “De Rosa ao Peito”,…

Participou com assiduidade no Teatro de Revista. Já em 1948 se  apresentou no Teatro Sá da Bandeira a primeira Revista que musicou, onde reuniu alguns dos artistas de prestígio da época. A partir daí, cerca de três dezenas de Revistas têm a sua autoria, tendo sido exibidas com maior frequência em Lisboa (Parque Mayer e Monumental) e no Porto (Teatro Sá da Bandeira).

A participação na Televisão foi diversa, destacando-se os Programas “Música Maestro” e “Os anos não contam”, que inteiramente lhe foram dedicados e preenchidos exclusivamente com músicas de sua autoria. Saliente-se ainda que, a convite do cineasta António Lopes Ribeiro, improvisou ao piano acompanhamento sonoro aos filmes mudos transmitidos nalgumas séries do “Museu do Cinema”. Por curiosidade, registe-se que a sua primeira colaboração no cinema data de 1941, no filme “Aniki-bóbó”, de Manoel de Oliveira, com produção de António Lopes Ribeiro.

Recebeu Medalhas de Mérito das Câmaras Municipais do Porto e de Lamego. Foi alvo de diversas outras homenagens, entre as quais se salienta a que o Rotary Club do Porto organizou há já bastantes anos no Hotel do Porto (como agradecimento pela colaboração em festas no Hospital Maria Pia, Sanatório Marítimo do Norte e outros); a Homenagem comemorativa dos 50 anos de actividade profissional, a promovida pela Radiodifusão Portuguesa no Monumental Casino da Póvoa de Varzim, outra pelo Rotary Club Porto-Douro, ainda em Lisboa pelo Clube Português da Banda Desenhada, a Homenagem “Obrigado Resende Dias”, feita no Clube Fenianos Portuense por muitos artistas, etc.

Da toponímia da sua cidade faz parte a “Praceta do Maestro Resende Dias”.

Para além da sua música continuar a ser divulgada em Espectáculos, Casas de Fado, na Rádio e na Televisão, alguns dos seus êxitos têm sido editados ou reeditados em suporte digital. Salienta-se “ROSA BRANCA”, escolhida por Mariza para integrar o seu CD “Terra”, tendo também sido escolhida esta música para o respectivo vídeo clip; “Terra” foi depois editada em DVD. Esta artista apresenta e divulga assim a referida música pelo mundo.

Refere-se ainda que a “Orquestra do Maestro Resende Dias” se manteve em actividade, ajudando a perpetuar quer o seu nome, quer a sua obra.

[ Topo ]  [ Mensagens ]   [ Enviar Email ]  [ Família ]  [ Início ]

8 thoughts on “Biografia

  1. Conheci o Maestro Resende Dias quando, ainda de calções, o meu Pai me levava a alguns ensaios da Orquestra Sinfónica do Porto no Cinema Nuno Álvares – onde foram colegas, Que saudades.
    Luís ribeiro Fontes

    • Caro Luís Ribeiro Fontes: A Família do Maestro Resende Dias ficou emocionada com o seu comentário, lembrando-nos logo do grande amigo de Resende Dias e da nossa Família, que foi o senhor seu Pai, o “Carlos Fontes”, não é assim? Também nos lembramos desses ensaios da Sinfónica. A irmã mais nova do Maestro, Fernanda, lembrou-nos que o seu Pai acompanhou os participantes da Orquestra Infantil de Bairro, dirigida pelo Maestro, com todo o grupo do Centro de Arte e Cultura Popular de Bairro – Vila Nova de Famalicão – na deslocação a Vigo, na ida e no regresso, pois aproveitou essa hipótese para ir visitar o filho que lá estava a estudar. Tem ideia deste episódio? Disponibilizaremos informações desses trabalhos do Maestro em próximas publicações, em NOTAS SOLTAS…
      Muito obrigada pelo amável comentário e desejamos-lhe as maiores felicidades.

  2. Pedido á Familia Resende Dias : será possivel saber o nome dos musicos que integraram as orquestras do Sr. Resende Dias,Anos 40 /60/70 quem poderei contatar para essa informação.?
    o meu muito obrigado.Rui Lima

    • Obrigada pelo seu comentário e interesse em conhecer melhor a Orquestra do MAESTRO RESENDE DIAS. Logo que possível iremos divulgar nomes – todos não sei se será possível, ao longo de décadas foram muitos os músicos que colaboraram… Para começar, refiro que, a partir dos anos sessenta, participaram sempre na Orquestra os dois filhos do Maestro, o Carlos (com apontamentos nesta página, na família, pois também era compositor), tocava viola solo e o José tocava viola baixo e foi o técnico de som. Continuaram com a Orquestra mesmo depois do falecimento do Pai, renovando algumas músicas, tocando como antes músicas de ambiente em recepções, casamentos, … e músicas para dançar em festas diversas e também de passagem de ano e o Carnaval… usando as orquestrações do Maestro e divulgando ainda muitas das suas músicas. Prometemos voltar em breve…

    • A Família, como prometeu, procurou recolher muitas informações durante estes dias. Não foi fácil e ainda faltarão muitos nomes, talvez os seguidores e os visitantes desta página nos possam ajudar e agradecemos reconhecidos que o façam, indicando-nos mais nomes que faltam, e são muitos. Contudo, e já que estamos mesmo a chegar ao PRIMEIRO ANIVERSÁRIO DESTE SITE e ao 98º ANIVERSÁRIO do NASCIMENTO do MAESTRO RESENDE DIAS, como agradecimento e TRIBUTO, incluímos um novo artigo que pode encontrar agora em https://resendedias.wordpress.com/2014/04/23/tributo-aos-musicos-da-orquestra-resende-dias/
      ou, depois, também clicando na imagem nova da entrada do site, no dia 25 de Abril, daqui a 1h e pouco. A Família agradece o pretexto para incluir este artigo que é de toda a justiça. Muito obrigado a todos os que colaboraram na Orquestra e a todos os que colaboraram neste ano do site.

    • Olá caro amigo
      Gostávamos muito de o fazer participante da ALEGRIA que sentimos por termos todos e com a colaboração de todos, dar o BRILHANTISMO à PÁGINA do MAESTRO RESENDE DIAS que, num ano, teve mais de 15 600 acessos! OBRIGADA A TODOS VÓS, SEGUIDORES E VISITANTES.
      Hoje peço para ir com curiosidade pela página de entrada, em https://resendedias.wordpress.com/

Deixar um Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s