Menina Do Capuchinho Vermelho (A)

Nome da Canção: Menina Do Capuchinho Vermelho (A)
Adaptação: Alberto Mourão
Autor da Música: Resende Dias
Intérpretes: Angela Maria Silva (menina); Maria da Graça Mourão (avozinha); Pedro Nuno (passarinho); Alberto Mourão (lobo); Carlos Alberto Oliveira >(caçador); Maria Helena Oliveira (narração)

 

Angela Maria Silva (menina);
Maria da Graça Mourão (avozinha);
Pedro Nuno (passarinho);
Alberto Mourão (lobo);
Carlos Alberto Oliveira (caçador);
Maria Helena Oliveira (narração)

 


 
Parte I

 
Parte II

[ Videos Musicais para Crianças 3 ] [ Discografia – por canção ]

Moderna Cinderela (A)

Nome da Canção: Moderna Cinderela (A)
Autor da Letra: José Guimarães
Autor da Música: Resende Dias
Intérprete: Fernando Gonçalves; Comandita (A)

 

Fernando Gonçalves

 

Comandita (A)

 

[ Discografia – por canção ] [ Discografia – por intérprete [C] [F]][ Áudio e Vídeo – 6 ] [ Videos Musicais para Crianças 3 ]

Painel Ribeira Negra de Júlio Resende ganha espaço permanente na Alfândega do Porto

23760

A Associação para o Museu dos Transportes e Comunicações (AMTC) transformou o que era um vulgar corredor num espaço expositivo

O painel Ribeira Negra, obra de Júlio Resende que deu origem ao mural em grés colocado à entrada nascente do portuense túnel da Ribeira, vai ter um espaço próprio na Alfândega do Porto que será inaugurado sábado, disse à Lusa fonte ligada à iniciativa. A obra, com 40 metros de comprimento e três de altura, ficará exposta definitivamente no corredor do primeiro andar daquele edifício, onde aliás já se encontrava patente, mas em condições que não eram as melhores e que mantinham o enorme quadro numa situação de quase clandestinidade.

A Associação para o Museu dos Transportes e Comunicações (AMTC) transformou o que era um vulgar corredor num espaço expositivo, centrando-se na iluminação e na instalação de uma estrutura em madeira que visa proteger o enorme painel. Este recebeu um caixilho metálico para travar a sua deterioração, de que já havia algumas manifestações. “Vai ser um espaço cultural novo que nós recuperámos”, disse ontem à Lusa o presidente da AMTC, entidade que está por trás desta iniciativa, juntamente com a Câmara do Porto, Galeria Cor Espontânea e Lugar do Desenho/Fundação Júlio Resende.

Carlos Brito recordou que tem uma velha ligação com a obra Ribeira Negra, pois foi como presidente em exercício da autarquia portuense (1985) que mandou fazer o mural cerâmico homónimo existente na Ribeira portuense, a pouca distância do tabuleiro inferior da Ponte de D. Luís.

A inauguração do novo espaço vai assinalar os 150 anos daquele edifício e os 93 anos do seu autor, feitos a 23 de Outubro.

Ribeira Negra, considerada uma das obras-primas de Júlio Resende, começou por ser um gigantesco painel que foi exposto pela primeira vez em 1984, no Mercado de Ferreira Bor- ges, no Porto. Sobre ela, o poeta Eugénio de Andrade escreveu ser um “magnificente historial da miséria e da grandeza da população ribeirinha do Porto”.

O artista ofereceu os originais à Câmara Municipal do Porto, que os teve guardados num armazém da Biblioteca Municipal Almeida Garrett e mais recentemente acordou com a AMTC a sua transferência para o edifício da ex-Alfândega.

A inauguração do novo espaço será ainda acompanhada da apresentação da serigrafia 150 anos do edifício da Alfândega do Porto, da autoria de Júlio Resende e oferecida pela galeria Cor Espontânea à instituição.

Em simultâneo com a inauguração do Espaço Ribeiro Negra – que “fica definitivamente a ser a casa desta obra”, segundo Carlos Brito – será igualmente inaugurada numa sala adjacente uma exposição com 12 obras recentes de Júlio Resende, organizada pela Cor Espontânea. Num texto sobre a exposição, o pintor afirma serem os trabalhos fruto da sua “intensa inquietação estética”.

Até meados de 2011, a AMTC deverá inaugurar também na Alfândega do Porto, na ala poente, um espaço para os “automóveis da Presidência da República”, segundo um projecto do arquitecto Souto Moura.

“A Alfândega é mais um centro cultural do que outra coisa qualquer”, sustentou Carlos Brito, lembrando que ali ocorrem regularmente exposições, como é o caso da que ali se encontra agora e se intitula O corpo humano como nunca o viu.

Pode aceder ao artigo original, publicado no site “Jornal Público”, em 03-11-2010, AQUI

 

[ Família ] [ Júlio Resende ] [ Início ]

Ribeira Negra – Turismo no Porto

 

RN

Localizado junto ao túnel da Ribeira, é um mural em grés, da autoria de Júlio Resende, inaugurado em 1987. Este monumental painel representa o fervilhar característico da zona urbana ribeirinha, em que figuras humanas e animais se repartem no espaço, num ambiente de cor e luz próprios do sítio.

Pode aceder ao artigo original, publicado no site “VisitPorto. – Turismo do Porto”, AQUI

 

[ Família ] [ Júlio Resende ] [ Início ]

E Julio Resende ficou ali, perto do rio…

Sim, é o painel de azulejos à saída da Ponte D. Luís….à entrada do túnel da Ribeira…bem nas entranhas do Porto. Sim, é de autoria de Júlio Resende, que faleceu hoje aos 93, em Gondomar.
E porque ficamos sempre mais pobres com a morte de artistas como este, fica aqui um texto sobre a obra mais notória que o pintor deixou à cidade – Ribeira Negra – pelo texto de Eugénio de Andrade.

«A gente a que o pintor sempre procurou dar corpo e alma, e que lhe sai ao caminho mal pega no lápis e no pincel, é aquela a que Fernão Lopes chamou arraia-miúda. Isto, que nunca passou despercebido àqueles que seguiram empenhados a sua obra, tornou-se pura evidência a todos quantos tinham olhos na cara a partir de Ribeira Negra, o magnificente historial da miséria e da grandeza da população ribeirinha do Porto, exposto pela primeira vez em 1984, no Mercado Ferreira Borges.Há uma brutalidade nesta pintura, digamo-lo sem qualquer hesitação; brutalidade que consiste em obrigar-nos sem trégua a pensar que o homem é o mais mortal dos animais, que o seu corpo não cessa de ser corroído pela lepra do tempo, que o esplendor da sua juventude se converte com facilidade na mais grotesca paródia de si próprio, que tudo nele está inexoravelmente votado à morte.»

 
Pode aceder ao artigo original, datado de 21-09-2011, publicado no blog “a Laranja cor de Rosa”, AQUI

 

[ Família ] [ Júlio Resende ] [ Início ]

Só Na Minha Terra

Nome da Canção: Só Na Minha Terra
Autor da Letra: José Guimarães
Autor da Música: Resende Dias
Intérprete: Florência
Outros: 1991 – Premiada no 1º Festival Internacional da Canção de Fall
River – Estados Unidos da América

Florência

[ Discografia – por canção ] [ Discografia – por intérprete ] [ Áudio e Vídeo 9 ]