Arroz Está Cru (O)

Nome da Canção: Arroz Está Cru (O)
Autor da Letra: Popular
Autor da Música: Resende Dias
Intérpretes: Júlia Babo; Isabel Wolmar

Júlia Babo

 

O Arroz Está Cru

Esta noite choveu neve
Caiu a folha ao feijão
Hei-de lograr os teus olhos
Amor do meu coração

A mim não me enganas tu
A mim não me enganas tu
A mim não me enganas tu
A panela ao lume
O arroz está cru

Está cru deixá-lo cozer
Está cru deixá-lo cozer
Está cru deixá-lo cozer
Dizem mal de mim deixá-lo dizer

Se te quis bem foi um sonho
Se te amei foi falsidade
Foi enquanto não achei
Amor da minha vontade

A mim não me enganas tu
A mim não me enganas tu
A mim não me enganas tu
A panela ao lume
O arroz está cru

Está cru deixá-lo cozer
Está cru deixá-lo cozer
Está cru deixá-lo cozer
Dizem mal de mim deixá-lo dizer

Tu pedistes a minha mão
Sem saber o voto meu
Minha mãe governa tudo
Mas a mim governo eu

A mim não me enganas tu
A mim não me enganas tu
A mim não me enganas tu
A panela ao lume
O arroz está cru

Está cru deixá-lo cozer
Está cru deixá-lo cozer
Está cru deixá-lo cozer
Dizem mal de mim deixá-lo dizer

A mim não me enganas tu
A mim não me enganas tu
A mim não me enganas tu
A panela ao lume
O arroz está cru

Está cru deixá-lo cozer
Está cru deixá-lo cozer
Está cru deixá-lo cozer
Dizem mal de mim deixá-lo dizer

O arroz está cru
Deixá-lo cozer
Dizem mal de mim
Deixá-lo dizer

«YouTube – Publicado a 25/04/2015

Grande sucesso popular da música portuguesa dos anos 60»

Isabel Wolmar

Em: http://www.fotolog.com/sonhador13/67006097/#profile_start

ISABEL WOLMAR

HOJE COLOCO A CAPA DE UM VINIL QUE DESCOBRI À RELATIVAMENTE POUCO TEMPO. TRATA-SE DE UM DISCO DO INÍCIO DE CARREIRA DE ISABEL WOLMAR. NESTE DISCO ISABEL WOLMAR CANTA O TEMA O “ARROZ ESTÁ CRÚ”. EMBORA ESTA CANÇÃO TENHA FICADO IMORTALIZADA PELA JÚLIA BABO ISABEL TAMBÉM A GRAVOU…

[ Discografia – por canção ] [ Discografia – por intérprete [J] [I] ] [ Áudio e Vídeo ] [ Áudio e Vídeo – 2 ]

Anúncios

Cantar é Prazer

Nome da Canção: Cantar é Prazer
Autor da Letra: Coelho Junior
Autor da Música: Resende Dias
Intérprete: Cidália Meireles, acompanhada pela Orquestra de Ferrer Trindade

Cidália Meireles


«YouTube Publicado a 20/09/2014

Esta gravação data de 1964 e pertence à Face A do disco EP de 45 R.P.M. editado pela marca portuguesa “Alvorada”, da editora “Rádio Triunfo”, intitulado “Cidália Meireles – Cantar é Prazer”, em que a cançonetista Cidália Meireles, acompanhada pela Orquestra de Ferrer Trindade, interpreta duas canções de Tristão da Silva e Artur Ribeiro, que são “Aquela Janela Virada pró Mar” e “Sete Colinas”, respectivamente, e esta fantasia de Resende Dias, que se intitula “Cantar é Prazer”. Nesta fantasia, Cidália Meireles exemplifica o que é o cantar para ela: prazer que não tem fim. Aqui, Cidália Meireles interpreta todos os estilos de música que eram mais admirados pela música ligeira portuguesa, que são o samba, a bossa, o passodoble e o fado. Aqui tem, senhoras e senhores, uma fantasia composta por Resende Dias e que mostra que as fantasias não são sómente para a música clássica.»

[ Discografia – por canção ] [ Discografia – por intérprete ] [ Áudio e Vídeo ]

Vira Viradinho

Nome da Canção: Vira Viradinho
Autor da Letra: Vasco Couto
Autor da Música: Resende Dias
Intérpretes: Três Marias

Três Marias

 

“A Família do Maestro Resende Dias tem muito alegria com a descoberta no YouTube de uma gravação desta sua canção, «Vira Viradinho», que tem letra de Vasco Lima Couto e é interpretado pelas “Três Marias” com Orquestra de Belo Marques, talvez das mais antigas gravações em vinil que conhece de uma canção da autoria de Resende Dias… Esperamos que apreciem connosco. Muito obrigada.”

[ Discografia – por canção ] [ Discografia – por intérprete ] [ Áudio e Vídeo ]

Saudades da Minha Aldeia

Nome da Canção: Saudades da Minha Aldeia
Autor da Letra: José Guimarães
Autor da Música: Resende Dias
Intérpretes: Florência; Mª Rosa Rodrigues; Nelly Correia; Conjunto Maria Albertina

 

saudades_minha_aldeia

Florência

Saudades da minha aldeia

Foi pela tardinha daquele dia sem cor
Que junto à ermidinha disse adeus ao meu amor
Andava no outeiro um cheiro de alecrim
Até o ribeiro ficou a chorar por mim
Ao longe os moinhos com as velas a girar
Pareciam lencinhos dizendo adeus a acenar
A água da fonte, as árvores do monte,
O povo lá da aldeia ficou por mim a chorar.

Ai que saudades eu tenho de ti minha aldeia,
Ai que saudades eu tenho da luz da candeia,
Ai que saudades da terra onde um dia nasci,
Ai que saudades, saudades eu tenho de ti.

Não me sai da ideia a doce recordação
Da pequena aldeia onde está o meu coração.
Com a cantarinha, junto à fonte ao pôr-do-sol
Cantava a Rosinha respondia-lhe o rouxinol
Ao longe as trindades a lembrar Ave-Marias,
Ai quanta saudade das festas e romarias!
Agora sozinha, já nada me acarinha,
Só vejo tristeza e saudade nos meus dias.

Ai que saudades eu tenho de ti minha aldeia,
Ai que saudades eu tenho da luz da candeia,
Ai que saudades da terra onde um dia nasci,
Ai que saudades, saudades eu tenho de ti.

Maria Rosa Rodrigues


Nelly Correia

Conjunto Maria Albertina

[ Discografia – por canção ] [ Discografia – por intérprete [C] [F] [M] [N]] [ Áudio e Vídeo ]

Agora, vão ainda outros comentários de amigos

COMENTÁRIOS CHEGADOS DE TODO O MUNDO e recebidos privadamente por e-mail, através do Facebook ou do YouTube

«Obrigada, adorei. Fez-me regressar à infância e ao tempo em que ouvia o seu Pai ou a tocar com a orquestra ou a acompanhar artistas da época, como por exemplo a Maria de Lurdes Resende, todos de saudosa memória. Um abraço e mande mais.»

«Até estou arrepiada. Não sabia que esta música tinha sido composta pelo seu pai. Traz-me lindas lembranças. A minha mãe cantava-a (esta e muitas outras) quando viajavamos de carro Que saudades, que nostalgia. Desculpe só agora responder, mas têm sido tantos mails que deixei este para ver com atenção. Foi uma linda surpresa. Obrigada Beijinho grande»

«Olá! Gostei muito de conhecer a história da vida do teu Pai. Não sabia quase nada e nunca o tinha visto em nenhuma foto. Obrigadíssima. Gostei mesmo muito.»

«Olá! Como já deves ter pensado, hoje estou muito Resende Dias! Esta, por exemplo, está aqui guardada para ser ouvida há imensíssimo tempo: 1 ano , 3 meses e 9 dias se o meu cálculo mental não me atraiçoa!!!!!!!!!!!!!!!!! São mails q guardo para quando tiver mais tempo livre e esse chegou, hoje. Gostei muito desta PAISAGEM da tua Avó. Algum de entre os netos teve vocação para a música? Parabéns e bjinhos»

«Boa noite. E a saga Resende Dias chegou ao fim! Andava tão pouco contente comigo mesma por não ter tempo para ver tudo o q queria!!! Parabéns. Todos dizem coisas muito bonitas sobre o teu Pai e sobre uma filha q ocupa tão bem o seu tempo a honrar o seu Pai. Bonito e parabéns!»

«Pois claro que não tinha visto !!!!! Recebo muitos muitos mails. Mas eu ia descobrir, claro ! Muito obrigada ! A Estrada do Amor é que ainda não apareceu….eu espero ! Mando um beijinho e mais uma vez agradeço. »

«Mto obrigada, é uma maravilha. Falei muitas vezes com a mulher do arq. Fernando Lanhas sem saber que era tua tia. O teu pai era um artista de grande sensibilidade. Bjo»

«Muito obrigado pela informação, pois admirei sempre os teus tios e, de modo particular, o teu pai pela proximidade que tive com ele. Tens uma “carga” histórica sobre os teus ombros por uma família tão distinta na dimensão humana e cultural! Abraço amigo e bom fim de semana»

«Acabei agora de ver o documentário sobre o teu tio F. Lanhas que conhecia mal. Foi um verdadeiro “homem renascentista”, multifacetado, mt completo. Parece-me q merecia ser mais conhecido e divulgado. Talvez o facto de ser primo do Júlio Resende o tenha ofuscado um bocado… Difícil saber qual tem mais valor. Os dois, diria eu…»

«” Tio, Primo e Padrinho”: nem toda a gente se gaba! Confio que o teu Querido Pai terá tido oportunidade de complementar a arte do teu Padrinho com uma composição da mais encantadora melodia! A minha “inspiração” fica por aqui. Mas o Porto fica a ganhar com mais uma obra de um dos seus dilectos, de um “Clan” tão famoso.»

«Olá! Obrigada por mais esta interpretação do teu Pai. Não sei se era habitual ele ir buscar-te ao liceu de carro. Se não era habitual, eu lembro-me muito bem dele nessa tarefa! Relembrei-o agora nestas fotos. Já fui à Ribeira ver o painel do Tio Fernando. Não sei se o local escolhido foi o melhor… De qualquer forma, os meus muitos parabéns pelo Pai e pelo Tio.»

«Muito obrigada por te teres lembrado de mim. Gostei imenso de ouvir o teu pai ao piano e de o ver nas fotografias. Tens traços dele. Conhecia muito bem esta música desde a minha infância, mas não sabia que era do teu pai. Que bom é recordar. PS Envio-te, em anexo, alguns dos meus versos. O “Gosto” já foi cantado num pub a pedido de um rapaz que o ouvira antes e levou a namorada para o ouvir. Mas faltava a música do teu pai!!!»

«Lembro-me de já ter visto esta Nota Solta! É bom recordar. Eu acho que agora é que Manoel de Oliveira, ou seja, os seus filmes serão melhor conhecidos pelos portugueses. Vai ser imortalizado. O seu cinema não é para todos, é dirigido a um público verdadeiramente cinéfilo. Mas Aniki-Bóbó não há quem não conheça e é do agrado geral. Foi a primeira obra-

prima. Vai passar muitas mais vezes na TV. É uma honra ter participado nele. Bjnhs»

«Que pena o pintor Fernando Lanhas não ter podido acompanhar a execução desta obra de arte, realizada com base numa pintura a óleo da sua autoria» … e a resposta: «ele ainda acompanhou a execução, e fez a montagem com fotocópias e fotos e cola, como sempre fazia muita coisa… »… «esta imagem é a colagem feita pelo próprio ainda em vida numa foto A3 do túnel.»

 [ Aniversário ] [ Flashes] [ Mensagens ] [ Enviar Email ] [ Família ] [ Notas Soltas ] [ Notas Biográficas ] [ Início ]